Blog

Frutas tóxicas para Cães


É bem comum encontramos muitas informações erradas sobre frutas que podem intoxicar os cães, mas hoje vamos esclarecer quais frutas realmente não podemos oferecer ao nosso melhor amigo, nem mesmo em pequenas quantidades:
Uva:
Ainda não se sabe ao certo em quais partes podem nos fazer mal, a polpa, a casca ou a semente, mas sabe se que as uvas sejam elas in natura ou passas podem levar a um quadro muito grave, a insuficiência real aguda, alguns animais precisam até de hemodiálise.
Carambola:
Apesar de não ser uma fruta muito comum, e para falar a verdade dificilmente os cães demostram interesse por ela, a carambola concentra uma grande quantidade de oxalato de cálcio solúvel, principalmente na fruta verde, essa substancia em excesso pode também causar insuficiência renal em cães, gatos e até mesmo em humanos.
– Açaí:
Essa fruta que ganhou destaque nos últimos anos e que possui vários benefícios para a saúde dos humanos, infelizmente os pets não podem consumir. Isso porque o açaí contém a teobromiana, a mesma substância que está presente no chocolate que podem causar vários problemas neurológicos e gastrointestinais.
Patrícia Guedes Cristino (Nutrição Clinica e Endocrinologia Veterinária). CRMV-MG 12655

“Necessidades instintivas de um cão. Como supri-las e prevenir a ansiedade?!?”


Diga-me quem aí já viu um cachorro correr em lugar aberto? Com certeza já se pegou pensando (em meio à admiração) que ele foi feito para isso, certo?!

 Seu peludo é dotado de necessidades instintivas que poucas vezes seus donos conseguem supri-las. Andar horas e horas por dia caçando água e comida; acordar várias e várias vezes na noite para ver se está tudo bem; procurar um local abrigado da chuva e outros perigos; São só alguns pontos de instinto de sobrevivência que os cães de mato e de rua fazem, e os nossos em casa são privados de tais atividades instintivas. Não por acaso que vemos os cães de mato (“selvagens”) e de rua tão equilibrados e os nossos cada vez mais desequilibrados. Se não soubermos suprir essas necessidades instintivas de nossos amigos peludos eles irão sofrer de distúrbios de ansiedade.

Cães de energia alta e muito alta sofrem com a rotina pesada do dono que sai cedo e chega tarde em casa e muitas vezes não se preocupa com o enriquecimento ambiental e o equilíbrio de seu cão. E se frustram pelo fato de seu cachorro estar lambendo pata a ponto de se ferir, abrindo buracos nas paredes de casa, destruindo móveis, latindo excessivamente quando está sozinho, incomodando os vizinhos… todos esses, além de outros, desvios de comportamento oriundos da ansiedade pelo acúmulo de energia. Por conta da pobre rotina oferecida pelo tutor.

Diga-me o que você faria se tivesse de ficar 6 dias por semana sozinho em casa por várias e várias horas sem televisão para assistir, sem um livro para ler e, o pior, sem celular? O que você faria? Ficaria super entediado, certo!?! Imagine seu cão que vive há anos essa rotina…

A ansiedade é um assunto muito sério e que tem como ser controlada.

Se seu peludo fica lambendo pata demasiadamente, rodando muito em torno da própria cauda, dando uns choramingos finos e agudos, pelagem caindo sem um diagnóstico clínico Veterinário que justifique, vômitos sem diagnóstico clínico Veterinário que justifique, coprofagia (ato de comer as próprias fezes)…    muitas vezes a causa de desvios de comportamento como esses pode ser ANSIEDADE.

Se tem passado por esses problemas com seu cão, busque ajuda profissional para melhorar a qualidade de vida do seu amigão!

Lucas Bonoto

Educador de cães

Cuidado em alto medicar seu Pet

 

 

Você sabia que cães e gatos têm características e gostos bem diferentes e, por isso, mesmo o medicamento sendo de uso veterinário, nem sempre pode ser usado pelos dois?

O uso inadqueado de um remédio pode gerar,  não somente uma repulsa por um sabor desagradável, mas até uma intoxicação severa.

Um exemplo disso são as soluções otológicas, muito prescritas para otites. Entre os veículos usados está uma substância chamada propilenoglicol, inofensiva para cães, mas altamente irritante para gatos.

Outra diferença é em relação a preferência de sabores. Gatos não apreciam muito o sabor adocicado, preferem  o salgado, já os cães aceitam bem os sabores doces e salgados.

Sabores muito ácidos e amargos não agradam à nenhum dos dois. Nesse caso,se for difícil de mascarar, é melhor optar por fazer em cápsulas.

Cães gostam muito de biscoitos, gatos adoram as pastas, principalmente, se adicioandas de aroma de peixe.

Além de considerarmos todas as características ligadas às diferentes espécies e raças, não podemos nos esquecer das particularidades de cada animal.  

Uma das vantagens da manipulação veterinaría é o uso  de formas farmacêuticas mais agradáveis ao paladar e personalizadas. Isso  diminui consideravelmente o estresse na hora da medicação e a adesão ao tratamento.

Giovanna Lopardi

 

Doenças Cardíacas

 

Cardiologia Veterinária visa tratar e prevenir as doenças do coração.

A cardiologia é uma especialidade da Medicina Veterinária que visa o diagnóstico, tratamento e prevenção das doenças do coração e do sistema circulatório.

Doenças cardíacas podem surgir em qualquer idade, sendo mais comuns em animais geriátricos ou idosos entre 9 a 11 anos, e quando corretamente tratadas permitem uma vida de excelente qualidade ao animal.

A sobrevida de cães e gatos vem aumentando, devido principalmente a qualidade dos serviços veterinários prestados, facilitando assim o diagnostico das doenças cardíacas.

As cardiopatias em cães idosos são geralmente causadas por alterações em válvulas cardíacas ou no músculo cardíaco (miocárdio). Algumas raças de cães são mais predispostas a determinados problemas do que outras, sendo as principais cardiopatias adquiridas pelos cães e gatos: Insuficiência valvar, Cardiomiopatia Dilatada, Cardiomiopatia Hipertrófica e alterações cardíacas congênitas.

Algumas alterações podem ser observadas pelo tutor do animal: como apatia, intolerância ao exercício, redução do apetite e peso corporal, tosse, dificuldade respiratória, língua roxa ou azulada, desmaios/ sincope, distúrbio de crescimento em filhotes, observados esses sinais é fundamental levar ao veterinário especializado em Cardiologia Veterinária para um diagnóstico mais correto e preciso de alguma alteração cardíaca.

Quanto mais cedo for feito o diagnóstico da doença cardíaca maiores são as chances de sucesso no tratamento do paciente, que ocorrera de acordo com a afecção apresentada por cada animal, sendo a conduta terapêutica dependente da fase de insuficiência cardíaca congestiva apresentada.

Doença cardíaca não significa falência cardíaca, portanto muitos animais com problema cardíaco não apresentam sintomatologia e são capazes de viver com boa qualidade de vida.

Daniela Vampré

danivet2006@hotmail.com
32-99977-3336
Médica Veterinária especializada em cardiologia pela Anclivepa – SP

 

Como alimentar seu filhote

Uma dúvida muito comum entre os tutores na consulta pediátrica é sobre os
horários de alimentação do seu filhote, então vamos tentar esclarecer:

  • Cães

Quanto mais novo o filhote, maior a necessidade de fracionar a comida ao longo
do dia, isso se deve ao metabolismo bem aumentado na fase inicial de
desenvolvimento.

Aos 25 dias de vida já podemos introduzir alimentos complementares a
amamentação; lembrando que essa deve ser feita até 40-45 dias; pois o leite ainda
é muito importante na nutrição e no desenvolvimento do sistema imunológico
do filhote.

Esses primeiros alimentos sólidos podem ser feitos com papinhas de
desmame, especificas para as espécies, ou então com a ração de filhote triturada
no liquidificador e umedecida com água morna. O ideal é que se ofereçam pequenas
quantidades de 4- 6 vezes ao dia, deixando disponível por curto período de tempo.
À medida que os dentinhos vão nascendo e se tornando funcionais não há mais a
necessidade de triturar ou umedecer a ração, somente devemos nos atentar ao
tamanho do grão da ração respeitando o porte dos animais.

Filhotes de raças mini ou pequenas devem ter as porções diárias divididas em 4
refeições até os quatro meses de vida e em 3 vezes até doze meses, depois
podemos dividir em apenas 2 refeições diárias.
Já animal de grande porte até o oitavo mês de vida, deve dividir a porção diária em
três refeições e após esse período em duas refeições ao dia. NUNCA ofereça aos
animais de grande porte a alimentação em apenas uma refeição, isso pode
predispor há torção gástrica (uma alteração gravíssima que pode levar há morte em
pouquíssimo tempo).

Uma coisa importante que devemos avaliar também é o habito desenvolvido por
cada animal, principalmente os de portes menores que costumam serem mais
seletivos na hora de se alimentar, às vezes o confortável para eles é comer apenas
uma vez ao dia. Se esse hábito não vem acompanhado de nenhum sintoma clínico,
como vômitos amarelos, muco nas fezes, desconforto abdominal no período de
jejum prolongado não tem o nenhum problema.

  • Gatos

Já para gatos uma MEDIDA de EXTREMA importância é a introdução precoce de
alimentos úmidos como patês e saches desde os primeiros meses de vida. Isso
garante uma maior hidratação do gatinho e contribui para uma vida mais saudável.
GATOS TEM QUE COMER PATÊS TODOS OS DIAS, PELO MENOS 1 COLHER DE
SOPA por dia, ele deve ser oferecido em qualquer horário do dia em potes
separados dos alimentos secos (ração).

Em relação ao alimento seco esse deve ficar disponível, mas com quantidades
controladas, para os felinos ao longo do dia.

Ainda ficou com mais alguma dúvida?

Patrícia Guedes Cristino (Nutrição Clinica e Endocrinologia Veterinária).
CRMV-MG 12655

Não dê chocolate para seu Cão

Apesar de ser um alimento que na maioria das vezes nossos cães demostram grande interesse, o chocolate é tóxico para nossos peludos.

O cacau, matéria prima para o chocolate, é rico em uma substância chamada teobromina e é ela que faz um grande estrago no sistema nervoso e gastrointestinal dos pets.

A teobromina pode provocar crises alérgicas, aumento da pressão arterial, taquicardia, arritmia, tremores e convulsões isso em nível de sistema nervoso, já no trato gastrointestinal os sintomas mais comuns são vômitos e diarreia que em quadros mais graves podem vir acompanhados de sangue.

O quadro de intoxicação geralmente é dose resposta, ou seja, quanto maior a quantidade ingerida e quanto maior o teor de cacau, maior a chance de desenvolver um quadro de intoxicação.
E não é só a teobromina que pode causar problemas; o alto índice de açúcar presente nas versões mais suaves (ao leite) também podem gerar problemas aos nossos pequenos.

Uma opção saudável e saborosa para nossos cães são os chocolates caninos que ao invés do cacau, utilizam a alfarroba na sua composição, além de ser muito saborosa a alfarroba é rica em vitaminas do complexo B, minerais como cálcio, potássio,
magnésio, ferro e manganês. Além disso, é rico em fibras que ajudam a eliminar toxinas. Assim nossos filhos de quatro patas podem comemorar Páscoa com segurança.

Médica Veterinária Patrícia Guedes Cristino CRMV-MG 12655

Otites Externas em Cães

Inúmeros cães no decorrer de suas vidas irão apresentar algum tipo de doença nos ouvidos, sendo as otites uma grande responsável pela a procura de atendimentos veterinários. Estruturalmente as orelhas dos cães são divididas em três porções, parte externa, media e interna, hoje falaremos um pouco sobre as otites que afetam a parte mais externa.

Atualmente já é sabido que, a grande maioria dos casos de otites externas em cães,são causadas secundariamente a diversos fatores tais como; alergias, inflamações, parasitas, corpos estranhos, reações a medicamentos, obstruções, doenças endócrinas entre outros, e que o sucesso do tratamento e a redução de recidivas, depende da eliminação ou controle do agravante secundário.

Nas otites externas é muito comum observar odor forte vindo das orelhas, balançar de cabeça e coçar dos ouvidos com freqüência,dor e aumento da temperatura local ao toque,presença de vermelhidão e secreção purulenta a amarronzada.

Durante a consulta para o correto diagnóstico é imprescindível uma minuciosa avaliação do pavilhão auricular por meio de palpação, otoscopia e análise do cerúmen. Condutas que possibilitam a diferenciação entre os diversos tipos otites. Já em casos mais complexos, pode ser necessário a realização de exames de imagens como radiografias e tomografias.

Traçado um plano terapêutico é importante excluir todas as possíveis causas perpetuantes para o adequado sucesso. O não correto tratamento pode tornar otites externas agudas em crônicas ou mal controladas e desencadear otites em porções mais profundas do ouvido, levando um agravamento e a extensão da infecção, da inflamação, chegando a comprometer audição, qualidade e estimativa de vida do seu pet.

É importante salientar que problemas na orelha, podem passar desapercebidos pelos tutores, mas vale uma dica; muitas vezes estão ligados à problemas dermatológicos. Esta correlação existe, pois durante a formação do embrião na gestação, o mesmo grupo de células que dão origem a pele são também responsáveis pela formação do ouvido.

E para finalizar é de suma importância orientar que cada terapia é especifica e individualizada para cada caso e animal. E que esta deve sempre objetivar o controle precoce da doença para manutenção de um ambiente otológico saudável.

Rafaella Tortoriello Barbosa Sampaio

Medica Veterinária

Pós graduada em Dermatologia Veterinária pela Universidade Anhembi Morumbi – São Paulo

Membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia Veterinária – SBDV

 

Mulheres Grávidas Podem Ter Gatos?

Claro que sim!

Algumas pessoas temem que o convívio desses Pets com mulheres
grávidas seja perigoso , especialmente em relação a toxoplasmose.

Mas com os devidos cuidados , não existem motivos para que as futuras
mamães deixem de conviver com seu bichinhos!

Existe o mito de que a toxoplasmose é a ́ ́doença do gato“ , no entanto ,
já é cientificamente comprovado que as formas mais frequentes de
contágio são através do consumo de carne contaminada mal-cozida ou
crua , ingestão de frutas ou verduras indevidamente higienizadas e água
contaminada pelo parasita toxoplasma.

Anote aí algumas dicas que separamos sobre o assunto :
 Lavar as mãos após o contato com carne crua ;
 Lavar bem as frutas e verduras ;
 Limpar diariamente a caixa sanitária do gato , pois assim as fezes
são removidas antes que os “ovos ́ ́ possam se tornar
contaminantes. As mulheres grávidas devem evitar essa tarefa , ou
utilizar luvas e depois lavar bem as mãos ;
 Não alimentar os gatos com carne crua ,vísceras ou ossos e não
permitir que saiam de casa para que evitem o hábito da caça.

Dr. Rafael Meurer

Médico Veterinário

Março Amarelo

Março é reconhecido internacionalmente como o mês de prevenção das
doenças renais em humanos, mas você sabia que a insuficiência
renal também acomete cães e gatos com grande frequência?
Alguns fatores como hereditariedade, raça, ingestão de água, doenças
infeciosas, dieta e idade podem contribuir para o desenvolvimento da
doença renal.  Como o rim tem uma alta capacidade funcional o diagnóstico                                                          precoce é a melhor opção para reduzir a evolução da doença renal, pois os                                                                  primeiros sintomas clínicos somente aparecem quando há uma perda de                                                                      pelo menos  75% das capacidades funcionais do órgão.
A doença renal crônica (DRC) é uma alteração degenerativa, progressiva e
irreversível que pode acometer um ou os dois rins e tende a aparecer à
medida que os cães e gatos envelhecem. É considerada a principal causa                                                                              de mortes em gatos acima de cinco anos e a terceira para cães de mesma
idade.
Os principais parâmetros para diagnóstico precoce da DRC são exames
periódicos como de sangue (SDMA e Creatinina), urina (EAS e PU/CU),
aferição da pressão arterial e ultrassonografia abdominal, portanto leve                                                                          seu  pet ao veterinário e faça sempre exames de forma preventiva.
Outra medida bem importante para evitar a doença renal é o controle de
doença periodontal, manter a boca do seu pet sempre limpa é uma das
principais medidas para saúde de uma forma geral.
Quando o diagnóstico é feito de forma precoce e o paciente renal é bem
monitorado, consegue se obter qualidade de vida e sobrevida por muito                                                                       mais tempo.

Procure seu veterinário

                                                   Médica Veterinária Patrícia Guedes Cristino
CRMV-MG 12644

Leishmaniose Canina

Você já ouviu falar em Leishmaniose Canina?

Trata-se de uma zoonose transmitida pelo protozoário Leishmania infantum (sim, o nome é feio mesmo!), que se aloja, sobretudo, na medula óssea, nos gânglios linfáticos, no baço, no fígado e na pele. Esse protozoário é transmitido aos cães, gatos e ao homem, pela picada de fêmeas do Mosquito Palha ou Birigui, insetos que apresentam cor amarela clara e que vivem nos refúgios de animais, habitações, caixotes de lixo, jardins, matas, etc. Esses danadinhos inconvenientes alimentam-se de sangue, preferencialmente ao final do dia.

Os cães que vivem sempre no exterior ou na maior parte do tempo fora de casa, raças exóticas, raças de pelo curto e os animais com idade igual ou superior a 2 anos correm maior risco de serem infectados.O período de incubação (ou seja, o tempo para o protozoário se reproduzir e induzir os primeiros sinais clínicos da doença), varia de 1 a 2 meses ou até anos e os sinais clínicos mais frequentes são: aumento dos gânglios linfáticos, crescimento exagerado das unhas, perda de pelo, feridas e descamação da pele, emagrecimento, atrofia muscular, sangramento nasal, anemia, alterações dos rins, fígado e articulações, entre outros.

No entanto, a Leishmaniose canina apresenta diferentes sinais clínicos e diversos graus de gravidade, podendo estar associada a outras doenças concomitantes..O diagnóstico é essencialmente clínico e confirmado por análises laboratoriais de sangue, biópsia de pele ou punção dos gânglios aumentados. Apenas com esses exames é possível avaliar o estado geral do animal e, em casos confirmados da doença, o tratamento indicado pelo veterinário deve ser rigorosamente seguido. Como forma de prevenção a recomendação principal é o uso de repelentes (seja spray, em pó ou coleiras). Em área endêmicas, ou seja, onde a doença apresenta muitos casos, a vacinação é uma ótima forma de prevenção!.Infelizmente a Leishmaniose Canina ainda não tem cura! No entanto é possível controlar a evolução da doença e remissão dos sinais clínicos.

Prevenção é melhor remédio! Cuido do seu amigo, faça acompanhamentos regulares com o seu veterinário! Saúde e qualidade de vida…. seu peludo agradece!

Promovendo momentos inesquecíveis com seu Pet

Meu nome é Fabiana Matos… há 5 anos atrás um grande e inexplicável amor entrou em minha vida.
Thor um pequeno yorkshire chegou me mostrando o significado do amor verdadeiro e incondicional, o que isso tem haver com a Fest Pet???
Tudo!!! Foi por conta dele que meu ciclo de amizade aumentou consideravelmente e foi por conta dessa nova rede de amigos que surgiu o York Day , pra mim um encontro de amigos que se tornou no meu primeiro evento(bem amador por sinal ,hahaha).
A turma cresceu e a vontade de festejar tbm… e assim que surgiu em fevereiro a vontade de fazer um bloco destinados a eles… os doguitos, e assim trouxemos o blocão do RJ para Juiz de Fora…e adivinha, foi sucesso total.
Em 2017 nasceu a Fest Pet… empresa pioneira em eventos Pet em nossa cidade.
Hoje temos um calendário de eventos fixo e em 2019 muitas novidades estão a caminho.
Tudo que se faz com amor dá certo… e é por isso que me dedico de coração para que nossos eventos sejam sempre um sucesso.

Creche Canina

Você já parou para pensar ou se perguntar se oferece ao seu cãozinho tudo o que ele precisa? Quantas vezes vai se deitar com peso na consciência por não ter dado a atenção que ele merece?

Nos dias em que vivemos, com todos os apelos e necessidades que o trabalho e o convívio social nos obriga, é realmente difícil conseguir tempo para executar todas as tarefas do dia a dia. E as necessidades dos nossos pets acabam ficando em segundo plano… Porém, é preciso lembrar que os cães, como nós humanos, são seres altamente sociáveis que necessitam de exercício físico e mental para se manterem saudáveis. Além disso, grande parte das patologias enfrentadas pelos cães urbanos, hoje, são fruto da ociosidade e da falta de estímulos corretos. Privá-los de uma vida mais ativa é, portanto, algo sério e, para isso, a creche canina pode ser uma excelente solução.

A creche para cães ou Day care se tornou uma tendência no mercado dos pets, e há motivos para isso acontecer. A ideia desse tipo de serviço é elevar o bem-estar dos cães, dando a eles condições de praticar atividades físicas, brincar, socializar com outros cães, exercitar seus instintos naturais, dentre outros estímulos, de modo a obter uma vida mais saudável e equilibrada.

A Top Dog veio para oferecer aos tutores preocupados com o bem estar do seu peludo a melhor estrutura em Day Care e uma equipe capacitada para entender e respeitar as necessidades individuais de cada cãozinho. No nosso espaço todas as atividade são monitoradas. Somos a primeira creche de Juiz de Fora a oferecer, alem dos estímulos físicos e recreacionais, as atividades de enriquecimento ambiental, que proporcionam ao cãozinho a possibilidade de exercer seus instintos naturais de diversas formas diferentes e desafiadoras. Ao final do dia o cãozinho volta pra casa não só cansado fisicamente, mas com as necessidades supridas, a energia corretamente drenada e a mente equilibrada.

Amaranta Vilanova

(32)99109-5231

Anestesia

A anestesiologia veterinária está se desenvolvendo cada vez mais nos últimos anos e ganhando espaço no cenário clínico e acadêmico. Novas técnicas e fármacos associados à modernos equipamento de monitoração, aumentam de forma significativa a segurança dos procedimentos cirúrgicos. Hoje, enquanto o paciente está anestesiado, equipamentos modernos fazem o controle de sua pressão arterial, seu ritmo cardíaco, sua respiração e sua temperatura, por exemplo. Sabemos que a anestesia não corresponde em apenas promover inconsciência, mas também gerar imobilidade, analgesia e relaxamento muscular adequado. O anestesiologista veterinário especializado é capaz de realizar a avaliação pré-anestésica do paciente, tranquilazação/sedação para diversos procedimentos, contenção química de animais selvagens, anestesia geral para procedimentos cirúrgicos ou não, controle antiálgico, terapia intensiva e emergencial. Neste âmbito, a avaliação pré-anestésica é realizada com intuito de reduzir os riscos anestésicos, determinar o estado de saúde do paciente, diagnosticar doenças ocultas que poderiam gerar complicações na anestesia e conversar com o tutor a respeito do procedimento. As complicações envolvendo a anestesia geralmente são respiratórias, cardiovasculares e alérgicas. A chance desses problemas levarem à morte, variam conforme as condições do hospital/clínica veterinária, especialmente os recursos disponíveis e a qualidade dos profissionais envolvidos. Procure sempre conhecer os profissionais envolvidos no cuidado do seu animal e busque profissionais capacitados que possam realizar qualquer procedimento com maior segurança possível. Não existe anestesia segura, existe anestesista qualificado.

M.V Juliana Freitas – CRMV MG 16865
Graduada pela Faculdade de Medicina Veterinária de Valença CESVA-FAA
Pós graduada em Anestesia Veterinária PAV – São Paulo SP
Pós graduanda em Dor e cuidados paliativos – Hospital Israelita Albert Einsten São Paulo – SP

Ozonioterapia

O ozônio é uma molécula derivada do oxigênio que existe na natureza para nos proteger contra os raios ultra violeta .

É uma molécula altamente oxidante, que existe também no nosso organismo, para a ativação de anti corpos, o que faz o tratamento ser seguro e sem efeitos colaterais.

A ozonioterapia é uma técnica que utiliza aplicação de uma mistura dos gases oxigênio e ozônio, por diversas vias de administração, com finalidade terapêutica.

Várias doenças podem ser influenciadas positivamente ou mesmo curadas pelo ozônio. Este é um fato que é confirmado por uma série de investigações científicas e de publicações médicas. De modo geral, o ozônio medicinal é aplicado paralelamente a outros medicamentos, podendo ser utilizado como terapia complementar, mas pode ser usado como única terapia para determinadas patologias.

O ozônio medicinal, quando utilizado de maneira correta, por um profissional capacitado, é seguro e eficaz.

Nós podemos tratar vários tipos de doença com a ozonioterapia.

O gás ozônio é bactericida, viricida, fungicida e parasiticida. Ele atua como anti-inflamatório porque age dentro da mitocôndria nas células, levando oxigênio para dentro da mitocôndria, aumentando com isso a oxigenação celular. O tratamento pode ser preventivo ou terapêutico.

Existem várias formas diferentes de aplicação de ozonioterapia, podendo ser aplicada intra-retal, intra venosa, bagging, subcutânea, dentre outras.

Os três principais mecanismos de ação da ozonioterapia são: melhorar oxigenação, regular o sistema imunológico e controlar infecções. Portanto consegue-se tratar várias doenças.

É uma técnica que demanda conhecimento da medicina para a sua indicação e conhecimento técnicos para a aplicação.

É de muita valia para a medicina por ser uma técnica que não agride o organismo, não in toxica quem recebe, por ser um tratamento bastante natural.

Dra Rita de Cássia Xavier

Médica Veterinária

Acupuntura Veterinária

É uma técnica milenar utilizada pela Medicina Tradicional Chinesa, que tem suas bases fixadas a mais de quatro mil anos, e consiste na aplicação de agulhas em pontos específicos do corpo para tratar doenças e promover a saúde.

A inserção destas agulhas estimulam as regiões aplicadas enviando mensagens ao cérebro, o que desencadeia efeitos diversos no corpo como a ação anti-inflamatória, analgésica entre outros.

Dentre as técnicas da Medicina Tradicional Chinesa temos a Moxabustão, Ventosaterapia, Dietoterapia e Fitoterapia. Estas técnicas em associação ou não, podem ser utilizadas nas mais diversas enfermidades que nos afetam e também aos nossos animais, trazendo mais saúde, vitalidade, bem-estar e longevidade.

Podemos utilizar a acupuntura em problemas renais, dermatológicos, alterações hematológicas, ortopédicas, endócrinas, neurológicas e comportamentais etc. A acupuntura pode ser utilizada como única terapia ou em associação com tratamentos convencionais, sempre com o acompanhamento de um profissional devidamente qualificado.


Dra. Tatyane Seixas

Médica Veterinária

CRMV 16603

Especialista em Acupuntura Veterinária

OUTUBRO ROSA EM FAVOR DOS NOSSOS ANIMAIZINHOS DE ESTIMAÇÃO

Quem tem um animalzinho de estimação em casa sabe o quanto eles amam um carinho e um afago dos seus tutores, especialmente os cães e gatos. Diversos estudos apontam os benefícios desta relação e as inúmeras vantagens desta convivência entre animais e seres humanos. O contato diário com um animalzinho de companhia, além de trazer grande alegria, pode ser benéfico ao nosso sistema imune e até mesmo ajudar de forma terapêutica nos tratamentos de depressão e ansiedade. Além de inúmeros benefícios para o homem, fazer carinho em seu cão ou gatinho pode representaruma grande oportunidade de ajudar a cuidar da saúde do seu amigo de quatro patas.

Nos anos 90 surgiu nos Estados Unidos acampanha denominada Outubro Rosa, que incentivavaas mulheres americanas a palparem suas mamas a procura de nodulações, numa tentativa de alertá-lassobre a importância do diagnóstico precoce e da prevenção do câncer de mama. Com o tempo, a campanha ganhou grande repercussão e atualmente foi estendida aos nossos animais, na certeza que o diagnóstico precoce é uma das maiores ferramentas no combate ao câncer e aumento da expectativa de vida de seus portadores.

Antes mesmo de me especializar em oncologia veterinária, já orientava os tutores dos meus pacientes em minha rotina clínica a palparem seus animais frequentemente a procura de nódulos e tumores, especialmente nas fêmeas. Em se tratando de tumores de mama, sabemos que estas são as neoplasias mais freqüentes nas mulheres e o mesmo índice pode ser estendido às cadelas e gatas, sendo que nestas, a maioria destes tumores, infelizmente, são potencialmente malignos e altamente metastáticos, podendo migrar para outros órgãos.

Além do câncer de mama, as fêmeas também são as mais predispostas às neoplasias de aparelho reprodutivo, como ovários e útero. os machos, ainda que tenham menor risco, também podem apresentar este tipo de doença, principalmente o câncer depróstata e testículo. Com relação às gatas, lamentavelmente, elas são ainda mais afetadas quando seus tutores insistem em fazer uso de doses hormonais para evitar o cio. Embora ainda contraditórios, diversos estudos mostram que os usos prolongados de injeções contraceptivas podem funcionar como agentes carcinogênicos, induzindo o aparecimento de tumores.O fato é que, além da palpação e atenção antecipada a qualquer alteração em seu animalzinho, a esterilização cirúrgica (castração) antes da maturidade sexual dos animais promove uma diminuição significativa nos índices de câncer neste tipo de população.

Em todos os aspectos, a prevenção é sempre o melhor caminho para evitarmos as complicações relacionadas ao aparecimento da enfermidade. Por isso, se você tem um amiguinho em casa, aproveite aquele momento de carinho para procurar nodulações sob o pêlo ou pele. Procure também palpar as mamas com freqüência, especialmente nas fêmeas. Percebendo qualquer diferença, marque imediatamente uma consulta com um médico veterinário especializado. Atualmente existem diversos recursos para o diagnóstico precoce do câncer em animais. Os pequenos tumores podem ser avaliados laboratorialmente através da citologia de materialcoletado de forma simples na rotina do consultório. Também podem ser realizadas biópsias e análises histológicas e imunohistoquímicas que determinam o tipo de tumoração e ajudam a direcionar a conduta a ser seguida após o diagnóstico.  

Assim como na medicina humana, os oncologistas veterinários estão aptos a oferecer o melhor estadiamento da doença e opções de tratamento para os animais de companhia, que vão desde a remoçãocirúrgica, até o uso de terapias como a quimioterapia, radioterapia, eletroquimioterapia, entre outrostratamentos que podem melhorar a qualidade de vida e prolongar os anos de felicidade entre você e seu cão ou gatinho. Por isso, fique atento: qualquer nódulo deve ser examinado clínica e laboratorialmente e não deve ser negligenciado. Um tutor atento e bem informado também é peça fundamental na luta contra o câncer.

Dra. Érica B. S. Tavares Cruz

Médica Veterinária – CRMV-MG 16.897

Especialização em Oncologia Veterinária – Inst. Qualittas RJ

Contato: (32) 98423-7191 – ericabstavares@gmail.com

Instagram: @ericatavarescruz

Doença Periodontal

A Doença Periodontal é a inimiga número 1 da saúde bucal dos pets. Cerca de 80% dos cães e gatos adultos sofrem deste mal. Como não temos o hábito de olhar a boquinha deles, ela pode passar despercebida e colocar em risco sua saúde. Se não for controlada, pode levar desde uma inflamação da gengiva até a perda dos dentes, e se não bastasse isso, ainda pode comprometer o coração, pulmão, fígado, rins e outros órgãos vitais. Entenda como a doença se desenvolve:
A placa bacteriana se acumula causando inflamação da gengiva, que se “solta” do dente (bolsa periodontal) permitindo que as bactérias invadam o ligamento periodontal e o osso levando a destruição gradativa destas estruturas que sustentam o dente (periodontite). Com o tempo, o dente começa a ter mobilidade e pode cair.
O mau hálito indica que existe atividade bacteriana, ou seja, infecção na boca de seu pet e ele precisa de cuidados odontológicos.
Cães e gatos tem um senso de sobrevivência aguçado o que faz com que eles comam mesmo quando estão com dor de dente. Eles também engolem os alimentos, até mesmo a ração, sem mastigar. Portanto, não ache que o fato dele estar comendo significa que esteja tudo bem com sua saúde oral.
A única forma eficaz de tratar essa afecção é a realização de procedimento cirúrgico com Médico Veterinário .Neste caso, o animal receberá anestesia e será submetido à raspagem na superfície dos dentes e raízes. Eventualmente pode haver extração, isso vai depender do comprometimento dos tecidos de sustentação.

Rose Lopes

(Médica Veterinária)

E o mundo Pet cresce

E o Mundo PET CRESCE.
Para o Bem e para o Mal.
A popularidade dos chamados “pets” cresceu muito nos últimos anos, o que deu ao Brasil o segundo lugar no ranking de maiores produtores de insumos do Mercado Pet, perdendo apenas para os Estados Unidos.
Apesar da grande aceitação dos animais de estimação e do crescimento do número de pets por lares, o abandono ainda é algo muito presente na sociedade. Entre os principais motivos citados por pessoas que abrem mão de cães e gatos estão gravidez na família, alergias e outras doenças,
mudança de residência, filhotes indesejados, velhice do animal e falta de planejamento para a manutenção dos bichinhos de estimação.
Os protetores são cidadãos comuns que realizam um trabalho social, cuja maioria atua sem auxílio do governo, mantendo seus projetos com a própria renda e com ajuda da população. A atuação dos protetores envolve o resgate, os cuidados médicos, a castração, preparação e encaminhamento de cães e gatos para adoção, conscientização sobre a posse responsável por meio de cartilhas, eventos e palestras, além da movimentação em busca de políticas públicas.
O grande problema enfrentado pelos atuantes da causa é a transferência da responsabilidade. A população também contribui para tais dificuldades, uma vez que algumas pessoas abandonam os animais nas ruas com a intenção de que algum protetor faça o resgate e dê abrigo.
Apesar dos avanços tecnológicos que facilitaram a comunicação e a informação, grande parte da
população ainda está restrita às velhas crenças e ao senso comum, mostrando que um dos maiores desafios atuais é conseguir de fato uma conscientização. Saber a importância das Leis de proteção dos animais e das políticas públicas, no âmbito governamental, assim como ter consciência do impacto de suas ações na sociedade, enquanto cidadão, são medidas necessárias para um futuro melhor para os animais não humanos e para os humanos.

( Átila Torquato é publicitário , vice presidente da Ong AJUDA – Aliança Juizforana pela defesa dos Animais e redator convidado )

Ciúmes, como seu amigo se comporta?

Os cachorros sentem muitas emoções que se não forem às adequadas, podem se converter em um autêntico problema. Se o seu melhor amigo sente ciúmes do seu parceiro, outro animal de estimação, vasilha, brinquedos e inclusive dos seus filhos deve resolver este problema o quanto antes para que o problema não piore.
Podendo piorar bastante a convivência e a harmonia familiar. Se observarmos comportamentos extremamente agressivos, possessivos ou que afetam a saúde do seu cãozinho de forma grave deve consultar um especialista, um educador canino.
Tal como levaria o seu filho ao psicólogo se precisasse, o cachorro que tiver problemas graves de comportamento que coloquem em risco o seu bem-estar ou o dos outros também se deve tratar. Além disso, quanto mais cedo der este passo, mais rápido o resolverá.
Esse problema ocorre na socialização do filhote, na fase do imprint que é de 2 a 4 meses de vida, a qual ainda não completou o protocolo de vacinas, por isso a maioria dos veterinários não orientam contato com outros cães, mas na verdade é que se a socialização for feita em ambiente seguro e apenas por filhote com o mesmo tempo de vacina e vermifugado a taxa de imunidade entre eles é a mesma e isso não faz correrem nenhuma tipo de risco a saúde.

Texto criado pela Ingrid do Cães & Trilhas.
Aproveita pra conhecer mais o trabalho dela e conferir outras dicas sobre comportamento animal.

@caesetrilhas

WhatsApp chat